Folheando 02: Prince of Thorns || Entrevistando 02: Mark Lawrence

Postado por - sexta-feira, fevereiro 27, 2015



      Antes de partir para a resenha, quero agradecer a todos que me receberam muuuito bem! Fico muito feliz em saber que vocês gostaram da minha primeira resenha, e também fico preocupado, claro que é uma preocupação boa, já que vou ter que no mínimo manter o nível para os próximos textos.
      (Quem vos fala é a Celly, invadindo o post do Rafa para dizer: fiquem atentos que no final tem uma entrevista pra vocês!)

Título da Série: A Trilogia dos Espinhos
Título do Livro: Prince of Thorns (vol. 1)
Autor: Mark Lawrence
Editora/Tradução: DarkSide Books/Antônio Tibau
Páginas: 360
Ano: 2014
Mais informações aqui.
Confira também resenha de: King of Thorns (vol. 2) || Emperor of Thorns (vol. 3)


Ainda criança, o príncipe Honório Jorg Ancrath testemunhou o brutal assassinato da Rainha mãe e de seu irmão caçula, William. Jorg não conseguiu defender sua família nem fugir do horror. Jogado à própria sorte num arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma. O príncipe dos espinhos se vê, então, obrigado a amadurecer para saciar o seu desejo de vingança e poder. Vagando pelas estradas do Império Destruído, Jorg Ancrath lidera uma irmandade de assassinos, e sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram.




      Primeiramente, pensei em fazer uma mega análise da trilogia, em um texto só, mas acabei achando que ia ficar muito grande e consequentemente, cansativo. Decidi então a fazer as resenhas separadas, mas fiquem calmos, não vai demorar pra sair a do King of Thorns, ela já está quase pronta. Explicado isso, vamos à resenha.
     Jorg é um verdadeiro anti-herói: inteligente, esperto, sagaz e muito, mas muito mau - no entanto, dá pra entender seus motivos, né? Quem não ficaria meio perturbado se ainda criança visse seu irmão, William, e sua mãe serem cruelmente assassinados?! Ele só sobrevive porque foi jogado em um arbusto de roseira brava. Ficou várias semanas entre a vida e a morte, e quando Jorg finalmente desperta seu único objetivo é vingança. Seu pai, rei de Crath, simplesmente não faz nada e isso o deixa transtornado. Jorg então decide que ele mesmo se vingará de quem ordenou os assassinatos e se tornaria rei.



      Prince of Thorns é o primeiro volume da Trilogia dos Espinhos, escrito por Mark Lawrence e publicado aqui no Brasil pela DarkSide Books No livro, somos apresentados ao príncipe Honório Jorg Ancrath. A história é narrada em primeira pessoa, se passando apenas no ponto de vista dele, e o tempo alterna entre o presente, quando Jorg possui 13/14 anos, e o passado, quatro anos antes da atualidade.
      Para tal, ele se junta a um grupo de mercenários, contendo aproximadamente 15 integrantes. Não vá pensando que Jorg se importa com algum deles, ele seria capaz de matar cada um de seus irmãos de estrada para cumprir seu objetivo. O livro também introduz a um assunto que me deixou muito curioso, os Construtores, não há muitas respostas no primeiro volume, apenas em King of Thorns que descobrimos quem eles são.


Minhas Impressões

        Bom, não me estendi muito na história pois o livro é bem curto, cheio de ação e mistérios, existem muitas reviravoltas ao decorrer dele, portanto qualquer explicação a mais poderia acarretar em um spoiler desnecessário. Eu super recomendo esse livro, Jorg é um dos melhores personagens que já conheci e sem dúvida, um dos meus favoritos. Os únicos pontos negativos são o desenvolvimento dos personagens secundários, que fica bem abaixo do nível de desenvolvimento do Jorg, e as descrições, que são bem fracas e até mesmo ausentes em alguns momentos, mas fora isso, o livro é sensacional!




#Entrevistando 02: Mark Lawrence



Sim, esse é o Mark. Sim, ele nos cedeu a entrevista. Sim, ele segurou uma plaquinha! 


        Aqui é a Celly de novo, e dessa vez com uma entrevista. Sim, o autor da série, Mark Lawrence, topou responder umas perguntas bem rápido para a gente! Ele foi super gentil e respondeu sem reclamar aos questionamentos de dois jovens brasileiros que o admiram muito e a gente só tem de dizer que somos gratos até o infinito! Agora vamos à entrevista em si:


Me Livrando: Você se inspirou em algum outro personagem para desenvolver Jorg Ancrath? Quais escritores inspiram-no?
Mark Lawrence: A inspiração para o personagem do Jorg veio diretamente de Alex, do livro de Anthony Burgess de 1962, Laranja Mecânica. As definições e a a história são muito diferentes, mas os personagens começam de forma muito semelhante. A inspiração direta para Jalan em The Red Queen's War (sem tradução) veio dos livros de George MacDonald Fraser, Flashman.

Me Livrando: Você já sabia o final da trilogia quando começou a escrevê-la?
Mark Lawrence: Quando comecei a escrever o livro eu não sabia que era um livro. Em nem um momento eu soube como o capítulo que eu estava escrevendo iria acabar, muito menos todo o livro, ou a trilogia.

Me Livrando: A trilogia fez muito sucesso no Brasil, você esperava que o público brasileiro fosse gostar tanto da trilogia?
Mark Lawrence: A recepção de um livro em um país comparado com outro é um pouco misteriosa. Obviamente depende de uma boa tradução. Você também tem de considerar onde a fantasia chegou. Livros que vendiam muito bem na Inglaterra de 1980 possuem venda empobrecida em 2015. Alguns países têm gostos semelhantes à Inglaterra dos anos 80, outros compartilham esses gostos atuais, outros talvez gostem do tipo de fantasia neste momento que os leitores do Reino Unido e dos Estados Unidos irão amar no futuro. Parece que o Brasil está pronto para Jorg nesse exato momento - e isso é uma coisa muito boa!

Me Livrando: Particularmente, gostei bastante da Miana, é possível que vejamos algo a mais sobre o passado da personagem em outros livros?
Mark Lawrence: Eu não sei que livros poderei escrever no futuro. Alguns personagens na Trilogia dos Espinhos serão vistos novamente na The Red Queen's War Trilogy (ainda sem tradução)... Mas Miana não será um deles.

Me Livrando: No final pontas não são completamente amarradas e ficamos com dúvidas, nos próximos livros algumas dessas questões serão respondidas?
Mark Lawrence: É possível que você aprenda mais em outros livros - mas para mim nem uma história realmente termina, ou começa, a propósito -, sempre há um antes e um depois, e eles irão importar para aquelas pessoas que amaram a história... Porém os livros têm de acabar em algum lugar.

Me Livrando: Um livro e um filme favoritos?
Mark Lawrence: Meu livro favorito de fantasia é provavelmente O Senhor dos Anéis, seguido por A Guerra dos Tronos. Uma escolha entediante, eu sei, mas há razões pelas quais ambos são tão populares. Meu filme favorito é Um Sonho de Liberdade (no original The Shawshank Redemption, adaptação do livro Rita Hayworth and Shawshank Redemption de Stephen King) - um raro caso onde o filme é melhor que o livro.

Me Livrando: Quais conselhos você dá para escritores que estão tentando publicar?
Mark Lawrence: Provavelmente gostar de escrever e se concentrar mais nisso do que em tentar publicar em qualquer lugar. A escrita você controla - o resto não.

        E esse foi o Mark, gente! Sobre uma de suas respostas: não, não é entendiante que você tenha como livros favoritos A Guerra dos Tronos e Senhor dos Anéis. A gente entende até demais! 
        Fiquem ligados na próxima resenha do Rafa, que irá continuar falando sobre a trilogia. E sim, a assinatura é conjunta porque o post foi um pouquinho meu também \o/ Mas ao Rafa: parabéns! Que seja sempre um sucesso aqui no MeL como já está sendo! Agradecimentos à Manuh Macedo e Helder Machado, que ajudaram na tradução, ao Rafa, ao Mark e à DarkSide por nos trazer essa obra fantástica (e em capa dura!)



Você também pode gostar de:

0 comentários