Me Livrando 09: Caçadores de Bruxas #celebreoqueénosso

Postado por - quinta-feira, março 26, 2015


            Aqui é a Celly. E hoje tem estreia do último integrante da nossa equipe, o Gabriel. Ele é nosso novo resenhista e faz parte da família há um tempo, mas só agora está postando (uma resenha incrível de um livro incrível, vale afirmar). Deem as boas-vindas ao Gabriel!



Título da Série: Dragões de Éter
Título do Livro: Caçadores de Bruxas (vol. 1)
Autor: Raphael Draccon
Editora: LeYa
Páginas: 438
Ano: 2007
Onde comprar: Livraria Cultura || Saraiva || Submarino || Livraria da Folha.
Mais informações aqui.

Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga. Essa influência e esse temor sobre a humanidade só têm fim quando Primo Branford, o filho de um moleiro, reúne o que são hoje os heróis mais conhecidos do mundo e lidera a histórica e violenta Caçada de Bruxas. Primo Branford é hoje o Rei de Arzallum, e por 20 anos saboreia, satisfeito, a paz. Nos últimos anos, entretanto, coisas estranhas começam a acontecer... Uma menina vê a própria avó ser devorada por um lobo marcado com magia negra. Dois irmãos comem estilhaços de vidro como se fossem passas silvestres e bebem água barrenta como se fosse suco, envolvidos pela magia escura de uma antiga bruxa canibal. O navio do mercenário mais sanguinário do mundo, o mesmo que acreditavam já estar morto e esquecido, retorna dos mares com um obscuro e ainda pior sucessor. E duas sociedades criminosas entram em guerra, dando início a uma intriga que irá mexer em profundos e tristes mistérios da família real.





Dragões de Éter, apesar do título, não fala sobre dragões. É sim um livro de fantasia, mas trata-se de uma releitura dos contos de fadas que escutávamos quando pequenos. Caçadores de Bruxas, o primeiro volume da trilogia é escrito pelo autor brasileiro Raphael Draccon. Eu confesso que desenvolvi certo preconceito pela nacionalidade do autor, preconceito esse que também possuía pelo enredo do livro. 
O autor narra a historia como um bardo a conta a seu público. Muitas vezes ele interage com o leitor, interrompe a história no meio e volta para contar um fato do passado o que torna a narrativa divertida para alguns e irritante para outros. O livro é dividido em três atos sendo esses sequencialmente: Caçadores de Lobos, Caçadores de Fadas e por último, Caçadores de Bruxas.

Mesmo de onde estavam era perfeitamente possível escutar o ranger da porta de entrada no andar de cima da casa. Passos. Um baque seco no chão de madeira podia ser sentido facilmente um andar abaixo. (...) Admito a você que essas histórias de magas negras, fadas caídas e bruxas carnívoras assustaram a menina de forma eficiente. O coração começou acelerar.

Voltado para um público mais jovem, Caçadores de Bruxas não é um livro bobo, é sim uma releitura dos contos de fadas, mas não se resume a apenas isso. O livro se passa no mundo de Nova Ether, um mundo de fantasia onde existem anões, trolls, bruxas, fadas, dragões, piratas, ladrões, reis e rainhas e toda uma gama de seres fantásticos. Nova Ether vive graças a semideuses (não que não existam deuses, mas essa relação é algo que deve ser deixado para vocês descobrirem por conta própria).


Em Caçadores de Bruxas cada personagem tem seu papel na trama. Nenhum deles é desnecessário ou inútil. Temos dois príncipes: um que foi criado para ser Rei e por isso perdeu a juventude para um tortuoso treinamento, enquanto o irmão mais novo era tido como príncipe da plebe, um pugilista amado pelo povo. Nessa história há um significado para Ariane Narin ir sozinha visitar a avó, que estranhamente morava no meio da floresta. Também há um significado para João e Maria Hanson terem ido parar nas mãos da Bruxa. A Caçada nada mais é do que uma história sangrenta e cheia de momentos onde "magia negra" é realmente algo macabro.

O mesmo em que Rei Branford retirou lentamente uma espada de duas mãos da bainha e concluiu seu discurso, firme como uma rocha, de frente para um exército que o seguiria até a morte. — Senhoras e senhores, é hora de caçarmos algumas bruxas.

O livro é um pouco arrastado e a história demora para começar, mas nada que prejudique muito a leitura. A história começa em Andreanne, capital do reino de Arzallum, onde os personagens são apresentados e a trama se desenvolve. Todos os personagens são inspirados na visão do autor sobre os contos. Então não se surpreenda se Chapeuzinho for uma garota traumatizada por ver a avó ser devorada por um lobo, tampouco pense que João e Maria não sofreram nas mãos de uma bruxa que os fez comer pedaços de vidro, barro e madeira ao invés de uma casa de doces. A bruxaria é real e macabra e a própria sangrenta Caçada as Bruxas prova o temor que o povo sente de tais monstros.

“Se um dia tiver uma real oportunidade, e achar que aquela é a única de sua vida, agarre-a com unhas e dentes."
A história é divertida e de leitura fácil, alguns personagens da plebe possuem um modo de falar cheio de gírias e até parecido com o nosso. O mundo de Nova Ether é rico em detalhes e a mitologia da história é cativante, ela se expande muito além do que já conhecemos dos contos.



Minhas Impressões
O diferencial desse livro eu diria que é a narrativa e a mitologia que ele nos traz. Não é uma história densa. É simples e divertida para quem se propõem a entendê-la e percebe a proposta que o livro tem. Indico-a para aqueles que procuram uma boa história com um bom enredo, uma narrativa diferente e todos os elementos fantásticos que esse universo tem. Quando peguei para ler me surpreendi porque não esperava tanta profundidade em um livro sobre contos “bobos e infantis”.

Sessão Spoilers!
Príncipe Axel vai atrás do seu irmão desaparecido e acaba encontrando o Mestre Anão Ira, mais conhecido com o Mestre Zangado.
Anísio, Príncipe herdeiro do trono de Arzallun, é transformado em um sapo humanoide por uma maldição, mas salvo por Branca Coração-de-Neve ao resgatá-la.
Rei Primo enlouqueceu e foi morto nas mãos da Bruxa Babau e a Rainha Terra sacrificou-se para dar um fim à bruxa.
Ariane Narin desafiou a Morte e o Criador devolveu a ela João Hanson, que havia falecido.
Príncipe Axel enfrenta Jamil Coração-de-Crocodilo, pirata que perde para o príncipe pugilista.
— No fim Rei Primo e Rainha Terra falecem e cabe a Anísio e Branca sucedê-los. 





Você também pode gostar de:

0 comentários