Folheando 07: Os melhores personagens

Postado por - quarta-feira, abril 08, 2015


"Nossa, lá vem a chata da Celly..." ah gente, mas por um bom motivo. E serei rápida, juro. Só pra falar mesmo que mudei o banner padrão dos posts. Se ficou bom? Ok, esse pode não ter ficado tão bonito, mas gostei do resultado geral. Essa foi só a primeira mudança. Em breve teremos outras por aqui. Aguarde! Agora fique com o top 4 do Rafa de melhores personagens (Cris, você vai amar o último!).



Jorg Ancrath


O que falar de Jorg? (rs) Quem acompanha minhas resenhas (livro 1 + entrevista com o Marklivro 2 e livro 3) já conhece muito bem esse personagem. Seu comportamento completamente imprevisível é um dos muitos pontos positivos da Trilogia dos Espinhos. O modo com que acompanhamos seu amadurecimento durante a trilogia é sensacional: em um primeiro momento observamos um garoto de apenas 13 anos, completamente insano e com uma sede por vingança insaciável. Mas como quase todos dizem: "Com grandes poderes vem grandes responsabilidades", então após o segundo livro, acompanhamos um Jorg mais maduro. Não entenda errado, ele continua completamente sem escrúpulos, mas já dá pra perceber que um (ou alguns) reino(s) dão dor de cabeça e que uma criança não teria a mínima capacidade para governá-los.

Os espinhos me ensinaram o jogo. Fizeram-me entender o que todos esses homens sérios e carrancudos que lutaram na Guerra Centenária ainda precisam aprender. Você só pode vencer o jogo quando que se trata de um jogo. Deixe um homem jogar xadrez e diga a ele que todos os peões são seus amigos. Diga a ele que ambos os bispos são santos. Faça-o lembrar de dias felizes à sombra das torres. Deixe-o amar sua rainha. Veja - o perder tudo.
(Jorg Ancrath)



Bilbo Bolseiro


Confesso que estava um pouco desanimado de ler O Hobbit (resenha aqui), mas após assistir o segundo filme da trilogia no cinema e achar sensacional (isso porque ainda não tinha lido a obra ainda, por que né? Aquele filme é uma bosta perto dela rs), decidi comprar o livro para saber o desfecho da história. Assim que li "Numa toca no chão vivia um hobbit..." já estava completamente imerso na Terra-Média e me senti parte da companhia de Thorin Escudo-de-Carvalho. No início da aventura, podemos perceber um Bilbo muito inseguro, e que sente falta de seus confortos, como por exemplo sua poltrona em frente à lareira e uma xícara de chá. Após o meio da história ele já está muito mudado, sendo decisivo para que a aventura fosse concluída com êxito. Após o término desse livro, me senti obrigado a arranjar as outras obras do nosso amado professor hehe. O Senhor dos Anéis é simplesmente uma das (se não a melhor) obra que já li em toda minha vida <3. Então já sabem, se gostam de como escrevo e de minhas resenhas, agradeçam a esse hobbit, sempre simpático e muito hospitaleiro, um dia ainda o visitarei. :D

A mãe deste hobbit - isto é, de Bilbo Bolseiro - era a famosa Beladona Tûk, uma das três notáveis filhas do Velho Tûk, chefe dos hobbits que viviam do outro lado do Água, o pequeno rio que passava ao pé da Colina. Frequentemente se dizia(em outras famílias) que muito tempo atrás um dos ancestrais Tûk provavelmente se casara com uma fada(elfa). É claro que isso é um absurdo, mas, ainda assim, com certeza havia neles algo não de todo hobbitesco, e, de vez em quando, alguns membros do clã Tûk saiam em busca de aventuras... É provável que Bilbo, embora se parecesse e se comportasse como uma segunda edição de seu firme e tranquilo pai, tivesse em sua constituição alguma característica meio estranha do lado dos Tûk, algo que estivesse apenas uma oportunidade para se manifestar.
(J. R. R. Tolkien)



Locke Lamora


       Vocês já devem saber como eu gostei do livro e desse personagem (resenha aqui). O mais incrível em Locke é o quanto consegue ser realista. Como assim? Ele sempre foi um menino muito franzino, então não faz sentido que fosse um exímio lutador. Locke demonstra que músculos não são necessários em todas as situações, em muitas delas ser um bom ator e  usar a inteligência já basta. No primeiro livro acompanhamos um órfão que já possui uma certa facilidade para causar problemas. Com o tempo, ele aprende a evitá-los e se torna um golpista muito competente. Sem dúvida foi um dos personagens mais divertidos que já conheci.

– Que ladrão não tenta conservar aquilo que já tem? O ladrão que tem algo ainda melhor – respondeu Locke. – Roubar era mais importante para nós do que manter. Se acumular fosse tão bom assim, nós teríamos arrumado algo para fazer com aquela porra toda.
(Locke Lamora)



Sherlock Holmes


Acho que já disse no meu perfil do blog, mas pra quem não sabe, sou fã desse detetive! Sério, o modo com que ele organiza os pensamentos para a resolução de um caso é muito, mas muito legal. Seu ajudante, o Dr. Watson, também poderia entrar nessa lista facilmente, mas preferi deixar o Sherlock mesmo, hehe. Confesso que não li muitas histórias dele ainda, mas assisti a todos os episódios da série, que por sinal, é maravilhosa! Já adquiri uma edição sensacional da Editora Martin Claret e espero conseguir lê-la o quanto antes.

"O mundo está cheio de coisas óbvias que ninguém jamais observa."
(Sherlock Holmes)


 

Você também pode gostar de:

0 comentários