No Jutsu 06: Shoujo em dobro - Akatsuki no Yona e Skip Beat!

Postado por - sábado, maio 23, 2015



Ohayo,?! Faz tempo que eu não falo de shoujos aqui na coluna. Já estava com saudades de falar de mangás - com leitura fácil, humor, bons enredos para se apaixonar, momentos tensos. E dessa vez é em dobro! Eu ouvi um amém, igreja? Okaeri ao #NoJutsu!

Ficha técnica:
Título do mangá: Akatsuki no Yona, Yona of the Dawn, O Amanhecer de Yona
Status do mangá: Em andamento – 106 capítulos em 17 volumes
Gêneros: Shoujo, Ação, Aventura, Comédia, Drama, Fantasia, Harém, Histórico, Psicológico, Romance
Mangaka: Kusanagi Mizuho
Onde encontrar: Em readers online, tanto em sites brasileiros quanto em inglês/espanhol - ainda não é licenciado por nenhuma editora brasileira.
Tem anime? SIM - Akatsuki no Yona / 24 episódios Aprox. 20min. por episódio, encerrado
Onde encontrar o anime: Akatsuki no Yona encontra-se online com áudio original e legendado por fansubs online espalhados pela internet, mas o site Crunchyroll (www.crunchyroll.com) o exibe legendado e com ótima qualidade de imagem.

Yona é a única princesa do reino, vivendo a vida luxuosa e despreocupada como uma princesa deveria. Ela tem de tudo: as melhores roupas e cosméticos, os doces mais divinos, um imperador amável como pai, e um primo lindo e que a adora, Soo-Won. Se ao menos seu guarda-costas, Son Hak, não fosse tão chato com ela e seu cabelo não fosse tão vermelho... Mas seu mundo quase perfeito quebra rapidamente quando ela testemunha seu primo Soo-won matando seu pai para abrir caminho para a ascensão ao trono. Son Hak escapa com Yona, e eles levam uma vida em fuga a partir desse ponto, e descobrem que são protagonistas de uma lenda renascida do reino.


Akatuski no Yona. Essa é uma obra shoujo, que aborda temas mais amenos, com um traço mais fino e harmonioso, e com mangá publicado mensalmente e voltado ao público feminino. Vou falar do mangá, dessa vez. Esse é um mangá que difere bastante do que o público alvo está acostumado a ler – é como se fosse um shounen adaptado para o público feminino. Claro que, tem várias semelhanças com outros mangás históricos com protagonistas femininas, como Saiunkoku Monogatari, mas com leves diferenças do tom de humor e do enredo, claro. 
Akatsuki conta a história da Yona, uma princesa mimada que só pensa futilmente em se apaixonar e no bem estar do pai – não se preocupa com nada com o reino. O reino da história é formado por outros 5 reinos, e cada um tem um governador e sua economia. Depois que Soo-won assassina o imperador e pai de Yona, e é surpreendida por ela, Son Hak a salva de Soo-won e foge com ela. Yona fica arrasada, é claro. Mas com esse trauma, ela muda e toma uma disposição pra salvar o reino. Na jornada dela de se fortalecer e enquanto escapa de seus captores junto com Hak, ela conhece outros companheiros dispostos a ajudá-la e se vê como protagonista de uma lenda há muito perdida.

Capa do Primeiro Volume de Akatsuki no Yona em formato de livro. Atualmente está no capítulo 106, ao menos, foi o último que li, de Abril/2015. Cada capítulo novo sai na revista Hana to Yume, no Japão – o mangá é mensal –, e posteriormente eles o reúnem em formato de mangá que nós conhecemos, nesse livrinho. Akatsuki foi lançado no Japão desde 2009.
Como eu mencionei acima, esse é uma mangá Harém – o que quer dizer que a protagonista é rodeada de personagens masculinos. Não quer dizer que seja no sentido sexual, no entanto – Yona é bem ‘densa’ e não percebe nenhuma aproximação ou intenção de nenhum de seus companheiros. Em termos de criação de personagem, é como se Yona fosse inocente no amor, mas sábia em suas decisões, habilidosa para lidar com o público em geral, e firme em suas decisões. Típica personalidade de protagonistas de shoujos. Os outros personagens tem personalidades distintas também: Hak é o resmungão de coração mole, proficiente em artes marciais, forte, teimoso. Soo-won, o primo de Yona, é um mistério para mim ainda – suas escolhas ainda me confundem, e não sei se ele tem algum carinho por Yona ou apenas a quer para usá-la. Outros personagens irão surgir com personalidades e ações ainda mais conflitantes, e cada capítulo descobrimos ainda mais sobre eles.
No geral, o clima do mangá é leve de comédia, mas tem tons de drama, suspense, ação e mistério bem mais decorrentes do que num shoujo regular. Tanto, que é bem popular e um dos líderes de vendas e apreciação no Japão entre os leitores. Vale a pena ler, a história é bem interessante e vi pouco romance ali – até agora foram somente poucas lembranças da infância de Yona, e não é desenvolvido muito o tema romântico – o que interessa é o reino e como Yona irá recuperá-lo. Fica a dica aí, galera.



Ficha técnica:
Título do mangá: Skip Beat!
Status do mangá: Em andamento – 223 capítulos em 36 volumes, mensal, desde 2002
Gêneros: Shoujo, Comédia, Drama, Romance, Slice of Life
Mangaka: Nakamura Yoshiki
Onde encontrar: Em readers online, tanto em sites brasileiros quanto em inglês/espanhol - ainda não é licenciado por nenhuma editora brasileira.
Tem anime? SIM – Skip Beat! / 24 episódios Aprox. 20min. por episódio, encerrado – Tem Dorama também, que é um seriado live-action de 15 episódios
Onde encontrar o anime: Skip Beat! encontra-se online com áudio original e legendado por fansubs online espalhados pela internet.

Kyouko Mogami viveu exclusivamente para seu amigo de infância Shoutaro "Shou" Fuwa. Ela segue Shou para Tóquio para que ele possa realizar seu sonho de se tornar um cantor famoso. Quando seu sonho é realizado, Kyouko ouve a verdade por trás de sua decisão de trazê-la com ele: ele estava usando-a como uma empregada. Chocada e furiosa, Kyouko jura se vingar superando-o no show business. Com um novo olhar e uma nova atitude, ela se junta a LME, a agência onde Ren Tsuruga (rival nº 1 de Shou do ator LME) faz parte, na esperança de alcançar seu objetivo de destruir o orgulho de Shou.


Skip Beat! É um dos meus mangás preferidos no momento, portanto, me desculpem se estou sendo muito parcial na minha crítica. Por causa do traço, demorei bastante para ler ele, e não entendia a fixação que minhas amigas – virtuais ou não – tinham por ele. Daí resolvi pesquisar resenhas e críticas sobre ele, e sempre via os pontos positivos e cheios de “ai, fulano é lindo”, e não compartilhava com a premissa. Não me agrada esse traço de queixo longo nos personagens masculinos, ficam cabeçudos... mas, posso dizer, a gente acaba acostumando ou o traço acaba melhorando com os novos capítulos. E a história supera em muito os traços.
Como o resumo acima já diz, Kyouko muda sua aparência, sua personalidade e com a vingança ocupando o lugar do amor que tinha pelo Shoutaro, se esforça bastante para ser uma celebridade ainda maior do que ele. As situações são ótimas, o enredo é bem envolvente, tem uma ótima dose de comédia e drama ao mesmo tempo, e tanto ódio quanto romance.


Kyouko sonhando acordada... com testemunha.

Kyouko é uma personagem que muda de um estereótipo sem graça para notável e viva em três capítulos. Shoutaro é azedo, orgulhoso, irritadiço e invejoso em um único tipo de pessoa – desagradável mesmo. E Ren Tsuruga é um mistério, mas sempre se manteve o tipo cavalheiro de homem. Todos os personagens envolvidos tem uma personalidade complexa, e o interessante é ver esse tipo de personalidade alterando com cada papel teatral que assumem quando estão trabalhando na área de atuação. No início, Kyouko parece ser o tipo previsível, mas a cada capítulo nos surpreendemos de verdade com o enredo e com a personalidade que ela assume ou as reações que ela tem quando está em situações difíceis. Com certeza, os personagens não são previsíveis.
O enredo ainda está se desenvolvendo, e mesmo com mais de 200 capítulos, se for pra ver desde o começo, em uma linha de tempo, se passou somente 2 anos na história – e olha que o mangá está em circulação desde 2002 no Japão. É tanta coisa que acontece que parece que a linha de tempo é gigantesca. Eu recomendo por um ponto – adoro histórias de vingança pessoal. Meu livro preferido é sobre vingança. Sempre me fascinou a ideia de superar aquele que te magoou ou te prejudicou de alguma forma. Recomendo fortemente.







Você também pode gostar de:

0 comentários