Me Livrando 18: A Noiva Fantasma

Postado por - terça-feira, junho 09, 2015


     Oi, ! No meu último post, resenha de Tubarão, eu havia comentado com vocês sobre o quanto estava gostando de A Noiva Fantasma a despeito de ter muito romance na história - que é um gênero ao qual não sou muito apegada. Bem, as páginas de A Noiva Fantasma acabaram e minha opinião se manteve firme. Posso afirmar a vocês que leria qualquer coisa de Yangsze Choo depois da experiência que tive com esse livro.


A Noiva Fantasma (The Ghost Bride no original), de Yangsze Choo (foto ao lado), foi um dos lançamentos da DarkSide Books para 2015. Ele está à venda apenas em capa dura e tem 360 páginas. Foi traduzido pelo Leandro Durazzo. Compare os valores e saiba mais. Encontre-o: Skoob || Orelha de Livro || Goodreads.

Exemplar cedido em parceria com a editora.




           Apesar do nome, A Noiva Fantasma, de Yangsze Choo, não tem nada a ver com A Noiva Cadáver ou coisa assim. Na verdade, o título remete a uma tradição comum nas comunidades chinesas no exterior da China continental. Essa tradição é o casamento fantasma, que pode ser realizado de duas formas: casando duas pessoas mortas que se amavam em vida, ou então casando uma pessoa morta com uma viva para atender seus anseios ou aplacar seu espírito. Pan Li Lan, nossa protagonista da história, encontra-se na segunda situação. Lin Tian Ching é um jovem que morreu recentemente, filho de uma das famílias mais abastadas da cidade de Malaca, e atormenta a mãe em seus sonhos para que casem-no com a Li Lan. A mãe de Tian Ching faz a proposta ao pai da menina, mas você deve saber que o casamento fantasma não é exatamente a tradição mais querida por lá... Então o pai simplesmente fica adiando a resposta. Por um lado, o ritual seria ótimo porque o pai de Tian Ching se comprometera a perdoar todas as dívidas da família Pan se o casamento fosse realizado, mas por outro ele sabe que sua filha não deseja, de modo algum, casar-se com um fantasma. Dá pra entender a menina, né?



           A Noiva Fantasma é dividida em quatro partes, quais sejam: Malaia - 1893, O Além, A Planície dos Mortos e Malaca. Conheçamos um pouco mais sobre a família da nossa protagonista, a família Pan: eles estão falindo. Isso aconteceu porque alguns anos atrás, Li Lan, o pai e a mãe adquiriram varíola. A mãe morreu, Li Lan sobreviveu com uma cicatriz atrás da orelha apenas, e o pai ficou com cicatrizes horríveis no rosto. Desde então ele se isolou, usando sempre um chapéu para ocultar as marcas e fumando ópio o tempo inteiro. A educação de Li Lan coube à sua adorável Amah e ao Velho Wong, empregados restantes da casa por quem é impossível não se apaixonar.
           Continuando no enredo, Tian Ching não é do tipo que desiste de seus objetivos fácil. Atormenta tanto Li Lan em seus sonhos que ela acaba indo atrás de medida drásticas para livrar-se dele... E, sem querer, sai de seu próprio corpo. É aí que a aventura começa: uma jornada para retornar a si mesma, comprovar a si mesma que o primo de Tian Ching, Tian Bai (por quem ela tem uma queda), não o assassinou e descobrir mais sobre seu passado. Aí então você conhece um pouco mais sobre a cultura malaia/chinesa - e eu adorei as Cortes do Inferno, a queima de oferendas de origami e a ideia do fio que conecta duas coisas importantes entre o morto e o vivo. São coisas interessantes demais para falar aqui sem que a resenha fique quilométrica. Acompanhe a jornada de Li Lan e tenha em mente que nem tudo é o que parece - nem as amizades, nem o passado.

OBS: Não se esqueça de se apaixonar pelo Er Lang
Sim, temos um triângulo amoroso aqui. Não desanime: leia.

A DarkSide ensina você a fazer seu próprio origami e ainda disponibiliza umas folhas lindas (que teriam de ser arrancadas, mas não o fiz) no final do livro.


           Minha opinião sobre A Noiva Fantasma é: Não gosto de romances, mas aqui abro uma exceção para A Noiva Fantasma. Para ler esta obra, você terá de se despir de nossos conceitos modernos sobre machismo. Sob a ótica dos dias atuais, Li Lan é uma moça aprisionada dentro de uma cultura imensamente machista, onde as mulheres não têm muitos objetivos de vida além de casar, procriar e fazer seus maridos felizes - além disso, eles podem ter várias esposas e concubinas. Talvez por isso você acabe gostando ainda mais de Li Lan, no final das contas. Ela vai contra a mesmice e o que lhe era esperado, ela transgride, bem no final do livro. Sobre a narração, ela não é fantástica, mas prende você. Nem uma ponta solta é deixada, e depois de ler Tubarão e ficar matutando sobre a máfia, ler uma obra tão bem amarrada foi ótimo.
Certa noite, meu pai perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma. Perguntar talvez não seja bem a palavra. Estávamos em seu escritório, eu folheando um jornal e ele no sofá de vime. A noite estava quente e quieta, com mariposas voando em círculos pelo ar úmido, atraídas pela lamparina acesa. "O que você disse?" (...)


A mãe de Li Lan encontra-se na Planície dos Mortos, trabalhando na versão fantasma da casa dos Lim. Mesmo tendo morrido jovem, ela encontra-se com a aparência de uma idosa, pois trocou sua essência pela recuperação de Li Lan da varíola (por isso a menina sobreviveu com apenas uma cicatriz);
Fan, fantasma com quem Li Lan faz amizade, rouba seu corpo. Lim Tian Bai, que se torna seu prometido com quem Li Lan deve se casar, não percebe e isso deixa a menina louca de raiva e incredulidade;
Lim Tian Ching é preso, assim como seus asseclas e o Sexto Juiz, uma vez que ambos estavam envolvidos numa trama infindável de corrupção no Além;
Er Lang salva a vida de Li Lan. Uma vez, duas vezes, três. Ele é uma deidade, na verdade um dragão e metamorfo apaixonante e lindo.


Avaliação final:




Você também pode gostar de:

0 comentários