Resenha || Minueto da Madrugada #celebreoqueénosso

Postado por - quinta-feira, setembro 03, 2015



Minueto da madrugada  Título da Série: As Crônicas Ridell
  Título do Livro: Minueto da Madrugada (2º livro)
  Autor: Décio Gomes
  Editora: Schoba
  Páginas: 284
  Ano de Publicação: 2014
 Onde Comprar: Amazon (ebook) || Compre aqui e ajude o MeL
  Obra cedida em parceria com o autor.
Sinopse “Após a morte de sua mãe, mudando-se da Alemanha para o interior da Inglaterra, a jovem Rosa Vogelsang ansiava, acima de qualquer coisa, construir uma nova vida longe de tudo que conhecia. Contratada pelo senhor Joseph Ridell, um importante homem de negócios da região, é levada para administrar a imponente mansão que carregava o sobrenome de seu dono: uma construção antiga, isolada no coração de uma vasta floresta, de paredes espessas e carregadas de eras e histórias. Pouco depois de sua chegada ao novo lar é apresentada a Dianne, a bela e enigmática noiva de seu patrão, e no decorrer de seus dias, graças à ausência de Joseph, aproximam-se e tornam-se grandes amigas. Lentamente, porém, a jovem governanta passa a descobrir que coisas horríveis e inimagináveis ocorrem no interior da mansão. Entre aquelas mudas paredes a madrugada trazia muito mais do que trevas, e para seu grande temor, a cada novo anoitecer, percebe que a nova e querida amiga está muito mais ligada aos segredos obscuros da família do que ela podia imaginar. Segredos, revelações e terríveis descobertas fazem de Minueto da madrugada um importante capítulo na história da família Ridell. Quando a luz se esconde e as sombras se derramam, um novo ciclo de horrores é iniciado, e com eles vem a certeza de que, cedo ou tarde, o mal encontra o caminho de casa.”

           Eu não costumo sair muito do gênero da literatura fantástica, geralmente me restringindo à fantasia medieval. O blog, no entanto, me forçou a expandir os horizontes. De repente encontrei Tubarão, A Noiva Fantasma, Star Wars, Condão (minha leitura atual) e Minueto da Madrugada. Livros que jamais entrariam em minha lista de leitura se eu não tivesse criado o Me Livrando. Então esse post é uma resenha do último livro mencionado, mas também um agradecimento. O MeL abriu portas para mim, me fez ver um novo mundo, e ele só permanece aqui porque hoje, 8 meses depois que o criei, vocês continuam lendo o que escrevo e se interessando pela minha opinião. Então, de coração, muito obrigada.




           Vamos ao Minueto da Madrugada. Como mencionado acima, é o segundo volume de As Crônicas Ridell. E não, eu não li Albertine, o livro anterior. Deveria ter ficado confusa, certo? Nah, que nada. Minueto antecede Albertine: se formos considerar a cronologia, eu li certinho e isso não me confundiu. Agora estou louca para ler o primeiro livro. Deveras: Décio Gomes sabe conduzir as palavras ao ponto de nos deixar ansiosos durante a leitura... Mas isso fica para o último parágrafo.
          Logo no primeiro capítulo acompanhamos Rosa. Sua mãe há pouco faleceu, e era ela quem lhe mantinha presa à Alemanha. Surge uma proposta de emprego na Inglaterra – e bem, por que não aceitar dessa vez? O que a jovem Rosa tem a perder? Assim ela viaja e torna-se governanta dos Ridell, passando a morar com Joseph e sua esposa Dianne, além dos empregados Frida, Brianna e Hector.




           Joseph, no entanto, é um homem ocupado. Ele vive viajando e pouco vê a esposa ou permanece na mansão, de modo que ela se sente solitária. Percebendo seu estado depressivo e querendo animá-la, Rosa aproxima-se da patroa: não tarda para que se tornem amigas. No entanto, obviamente ela continua sendo uma empregada e não pode ficar vinte e quatro horas por dia grudada à patroa... O que nos faz concluir que Dianne precisa de outras distrações. E ela encontra.
           Revirando caixas antigas no sótão, que pertenciam aos antigos moradores da mansão, Dianne encontra um Necromicon (que existe, mas não é real: uma ficção de H.P. Lovecraft que até hoje faz muitos acreditarem que de fato é um artefato do Tinhoso). Qualquer pessoa que visse um livro demoníaco diante de si se livraria dele, certo? Mas não Dianne. Ela coleciona essas coisas macabras, e com certeza não irá jogar fora justamente o artefato que lhe é mais precioso, pois realiza todos os seus desejos. Não sem um preço... Talvez alto demais. Será que compensa?


           


           Minha opinião sobre Minueto da Madrugada é: A escrita do Décio é envolvente e cativante. Encontrei pouquíssimos erros de revisão no livro, e fiquei realmente encantada foi pela artimanha empregada no exemplar: você pode escolher duas capas! Eu particularmente fico com a primeira, que é aquela que envolve o livro, a sobressalente. Sobre o enredo em si, me surpreendeu. Achei brilhante. Os momentos de tensão e arrepio – que não são poucos – foram bem colocados e alcançaram o objetivo de me deixar apavorada. Já fiquei sabendo que alguns personagens desta série também aparecem em In Nomine Patris, que também pretendo conhecer, do mesmo autor. Enfim, recomendo Minueto da Madrugada a todos os leitores que quiserem apreciar um bom terror (e ainda por cima nacional!). Vocês podem começar a série como eu, pelo volume II, que não irão se confundir. Boa leitura!




        

Você também pode gostar de:

0 comentários