Folheando || Thystium - Quando a Magia Esgota #celebreoqueénosso

Postado por - terça-feira, outubro 06, 2015


Título: Thystium - Quando a Magia Esgota || Autor: Peterson Rodrigues || Editora: Livros Ilimitados || Brochura || 252 páginas || ISBN: 978-85-66464-66-5 || Gêneros: literatura nacional, fantasia, aventura || Skoob || Página oficial no Facebook || Compare os preços.

Na magia nada se cria, nada se perde e tudo se transforma. Bem-vindos a Thystium. Um lugar onde a magia nasce e é a força vital de todos os seres em que lá vivem. Thystium é um mundo belo e mágico, mas seus habitantes vivem o que está longe de ser um conto de fadas. Mundos paralelos roubam a magia de Thystium, sua força vital, a magia, se esvai aos poucos, fazendo com que os seres que lá vivem pereçam cruelmente. Somente a união entre aqueles capazes de abraçar uma vida sem magia poderá salvar este belo mundo dos criminosos responsáveis por acarretar a aniquilação total. Em Thystium os verdadeiros heróis lutam contra o impossível. Seus próprios corpos e mentes são obstáculos gerados numa sociedade onde o destino e o papel de cada um é pré-determinado por anciões. Nesta batalha, viver mais um dia é um prêmio aceitável.




           Logo de cara, vemos que o autor foi muito original. A magia em Thystium é a fonte primordial de vida e poder. Caso algum lugar fique sem ela, é certo que essa localização se tornará um deserto desolado e seus habitantes, se não morrerem de fraqueza, se tornarão seres desfigurados e sedentos por qualquer coisa que possa lhes prover magia. A magia também é capaz de fazer animais falarem.
         Joe Cornwall é um garoto que vive no Povoado, um grande vilarejo que possui uma muralha invisível que serve de defesa para seres que queiram causar algum dano. Ele é um jovem comum, criado por Sandor, líder do vilarejo. Porém, Joe é capaz de manipular a magia a seu favor, é comum vê-lo voando ou se teletransportando. Ele possui um grande amigo, chamado Lothar, e uma paixão por Jillian.
         Vale ressaltar que no universo de Thystium existem diversos mundos paralelos e o mundo em que se encontra o Povoado não é o nosso. O autor utilizou uma metáfora interessante, onde no "nosso mundo", a magia se esgotou deixando-o acinzentado e com pessoas que não só estão preocupadas apenas com elas mesmas, mas também praticamente perdendo o contato com a natureza (vai dizer que não é assim mesmo?! haha).
           No livro existe uma ordem chamada Monges das Aranhas, que recebeu esse nome pois todos os seus integrantes possuem a cabeça raspada com uma aranha tatuada. A ordem rapta garotas para levá-las para nosso mundo e vendê-las, onde serão escravizadas em todos os sentidos. A quantidade de magia que elas possuem é capaz de inspirar diversos artistas e a empresa pra qual a ordem dos Monges vende essas jovens fatura rios de dinheiro, sendo uma das mais poderosas.



           A aventura se inicia quando essa ordem massacra o Povoado e leva Jillian. Joe fica completamente desesperado e sai com Lothar para tentar salvá-la. Porém, a história não é tão simples assim: no decorrer do livro, somos apresentados a uma outra ordem, muito maior e mais poderosa e aparentemente maligna, liderada pelo Lorde da Magia, maior conhecedor das artes místicas de Thystium e que se considera um herói que irá salvar o mundo da crise mágica que vem ocorrendo e da destruição. Existe muito mistério ao redor disso.
         


           Minha opinião sobre Thystium é: O ponto mais forte fica para a amizade entre Joe e Lothar, que se desenvolve muito bem, e também pelo auto-descobrimento pelo qual Joe está passando - afinal, ele é um ser poderoso e não sabe muito bem como usar esses poderes. Outro ponto positivo vai para a ordem dos Lordes, que possui um papel muito importante na história.
           O único ponto negativo fica para a revisão do livro, pois não são raros os erros de digitação e isso pode acabar incomodando alguns (mas pra mim, não chegou a atrapalhar). Creio que com um pouco mais de atenção durante a revisão, esses erros seriam corrigidos.
          O livro é competente em todos os sentidos. O autor foi muito inteligente e original; Peterson conseguiu criar uma história leve e divertida e ao mesmo tempo, cheia de metáforas. O mundo é diferente de tudo que já li e possui uma mitologia própria, com seres muito distintos e interessantes. Se você, assim como eu, gostar de assuntos ligados a cultura pop dos anos 90 e 2000, irá reconhecer muitas referências durante a obra (o que deixa tudo mais legal!).

avaliação final



CAPA: 7
DIAGRAMAÇÃO: 9
REVISÃO: 
NARRAÇÃO: 9
PERSONAGENS: 9
ENREDO: 8
WORLDBUILDING: 8





  ASSISTA A NOSSA ENTREVISTA COM O PETERSON!






     

Você também pode gostar de:

0 comentários