Artigo || Desbravar é preciso!

Postado por - segunda-feira, dezembro 07, 2015

Desbravando Livros
          
           Alguns dizem que as coisas boas só são boas quando duram pouco, porque só assim você as valoriza. Eu discordo. Discordo muito. Você não precisa, por exemplo, viver pouco tempo com o amor de sua vida para que possa dizer que foi bom. Muito pelo contrário: quanto mais vocês amarem, apoiarem e respeitarem um ao outro, mais ficarão juntos. A vivência de nossas experiências mais maravilhosas não deriva do pouco tempo que possuirmos para aproveitá-la... É irracional pensar assim. Se você ama algo, e ama a vida que leva, irá sempre buscar pelo aperfeiçoamento. A tendência é melhorar. Neste caso o tempo e o amor pelo que você faz são grandezas diretamente proporcionais. Ninguém fica feliz por ter de abandonar aquilo que ama fazer – a não ser quando o amor pela atividade diminui, ou você sente a necessidade de alcançar novos objetivos que irão completá-lo como pessoa.
          Foi mais ou menos isso que aconteceu com o Vagner Stefanello. Ele é o proprietário do fantástico blog Desbravando Livros, que encerrou suas atividades no último dia 05 após três anos e meio de atividade, deixando um legado de 95 resenhas e 234.000 acessos. Quando comecei o Me Livrando, ele foi minha inspiração. Suas resenhas, dedicadas especialmente a livros de fantasia, aventura e ficção histórica, são sinceras e cheias de informação. Praticamente todos os livros que um dia pretendo ler na vida estão lá. Além disso, o Vagner nunca foi do tipo que escreve para ganhar livros – como muitos que conheci na blogosfera. Nem o desesperado por acessos que cria matérias tendenciosas para conseguir um clique a mais. Sequer tinha parceria com editoras e nesse pouco tempo que o conheci eu acredito que divulguei o Desbravando mais do que ele próprio. Vagner era um blogueiro assim: fazia o que fazia por amor, conquistava leitores fieis pelo conteúdo e prezava pela sinceridade em cada uma de suas resenhas.
          Como eu disse anteriormente, ele tomou a atitude de encerrar o blog. Compreensível: como eu comentei lá em cima, o amor que o Vagner sentia por resenhar diminuiu com o tempo, e o desbravador de livros está se preparando agora para desbravar a própria vida. Lamento por não ter conhecido o Desbravando antes, mas posso agradecer por ele ter decidido não desativar o blog. Resenhas tão boas não podem ser perdidas assim... E serão sempre minha fonte de consulta. E, já entrando nesse assunto, eu perguntei a ele quais foram as que ele mais amou fazer – curiosamente bem diferentes das mais acessadas. Você irá conhecê-las agora - e por que não as acessa também? 

   

“A história de uma lenda. Estas seriam as cinco palavras necessárias se alguém me pedisse para resumir brevemente toda a vida de Vaelin Al Sorna, Beral Shak Ur, Eruhin Makhtar, o Matador do Esperança, filho do ex-Senhor da Batalha do Rei, abandonado pelo próprio pai em frente à casa da Sexta Ordem logo após a sua mãe ter falecido. Treinado para ser um guerreiro em nome da Fé e proteger o Reino, Vaelin é um personagem que acabou entrando definitivamente, a partir de agora, para a minha lista de favoritos. (...)” – A Canção do Sangue, Anthony Ryan (Editora LeYa)


        



Ah, esse livro. Prepare-se para dar muitas risadas, desbravador, pois se você entrar no mundo de Locke Lamora será difícil sair. Scott Lynch nos brinda com uma história bem humorada, intrigante e que só faz nossa expectativa aumentar a cada capítulo. Dizer que As Mentiras de Locke Lamora é uma das grandes leituras do ano parece pouco perto da diversão que é desbravar todo esse livro e da tristeza que é ler a última página sabendo que o livro acabou. (...) –  As Mentiras de Locke Lamora, Scott Lynch (Editora Arqueiro)


        


   Percebe-se claramente a evolução de Joe Abercrombie em toda a trilogia, refinando a sua escrita e tornando a leitura muito agradável. Com colocações pontuais a respeito da mitologia por trás de todos os magos e cidades envolvidos na trama, Abercrombie consegue nos brindar com um livro melhor que o outro, mostrando que tudo pode ser melhorado. O único porém foi o autor ter usado um pouco demais o tell nos seus livros. No caso, apenas contar o que aconteceu e não mostrar-nos 'ao vivo'. É aquela máxima do show, don't (just) tell, o que acaba deixando uma sensação de vazio em algumas partes. Certamente umas 50 páginas a mais por livro fariam muita diferença. (...)” –  O Duelo dos Reis, Joe Abercrombie (Editora Arqueiro)


        


   A saga de Artur está, infelizmente, chegando ao seu final. Excalibur é o último e derradeiro livro da trilogia e finaliza com chave de ouro as aventuras de Derfel ao lado de seu companheiro mais famoso. Com muito mais ação e com reviravoltas incríveis, o autor consegue prender a atenção do leitor do começo ao fim. (...)” –  Excalibur, Bernard Cornwell (Editora Record)


        



   Um reino em decadência. Um Imperador que simplesmente desaparece após ser mortalmente ferido em uma batalha. Junte isso tudo a um povo passando fome e pronto: temos uma nação prestes a explodir em uma guerra civil. O diferencial da obra de J. M. Beraldo? Não estamos mais na Idade Média, desbravador, estamos em um continente árido, pobre e cheio de peculiaridades. Alguma semelhança com a África? Não é por acaso, já que o autor inspirou-se em culturas africanas para criar Reinos Eternos, uma série que eu certamente acompanharei do começo ao fim! (...)” –  Império de Diamante, J. M. Beraldo (Editora Draco).




        


   Esse livro estava há anos na minha cabeça e sempre tive vontade de desbravá-lo, mas infelizmente o tempo ia passando e a hora dele nunca chegava, até que comecei a assistir ao seriado Marco Polo e finalmente me veio a inspiração para ler a tão recomendada obra de Conn Iggulden. Só me restou pegar o e-book original e começar a desbravar. O Lobo das Planícies é o primeiro livro da série O Conquistador, composta por 4 outros, e nos apresenta o início da vida de Temujin, filho do chefe da tribo dos Lobos, vivendo em terras mongóis. (...)” –  O Lobo das Planícies, Conn Iggulden (Editora Record).

        



   Algumas palavras para definir esse livro? Vingança, traição, paredes de escudos. É isso o que você encontrará na narrativa e, tenho certeza, fará você se apaixonar por essa série. Comprei a coleção das Crônicas Saxônicas só de ler a sinopse e olhar para as capas, que são extremamente bonitas e possuem um cenário de guerra "sedutor". Deixando as enrolações de lado, mãos à obra. (...)” –  O Último Reino, Bernard Cornwell (Editora Record).

        



   Brandon Sanderson está, de fato, entrando na lista dos meus autores favoritos. Cada livro dele é praticamente uma obra-prima e com The Way of Kings não foi nada diferente, muito pelo contrário, é a confirmação de que o autor está sempre melhorando! Primeiro livro da série The Stormlight Archive, a qual promete ter DEZ livros, essa obra foi feita para aquele leitor que adora batalhas, personagens bem desenvolvidos, momentos vibrantes e todo aquele clima épico que envolve um mundo gigante (Roshar) e que está em guerra. (...)” –  The Way of Kings, Brandon Sanderson (Tor Books).

        



   A trilogia Mistborn é uma das grandes referências da fantasia na atualidade e merece ser desbravada por todos os fãs desse gênero. Com um worldbuilding excelente e um clímax digno de uma trilogia 5 estrelas, o autor Brandon Sanderson entrega ao leitor uma obra-prima de qualidade. (...)” –  The Hero of Ages, Brandon Sanderson (Tor Books).


          Então é isso, gente. Vocês acabam de conhecer as resenhas favoritas do Vagner. E eu quero aproveitar aqui para dizer que, a partir de hoje, uma nova era se inicia no Me Livrando. Eu não vou mentir e dizer que não ligo para acessos – sim, eu me importo com eles. E talvez tenha lido um ou dois livros que não queria apenas por conta de parcerias. Em respeito ao Desbravando Livros e a todos os blogs que fazem um trabalho incrível com amor (Bravura Literária, The Nerd Bubble, Infinitos Livros, Garota Hostil, Expresso de Nárnia, Leitor 97 e especialmente meu namorado Helder da Game of Thrones da Depressão, sempre com os melhores conselhos e aturando as minhas crises existenciais como blogueira), de hoje em diante não me preocuparei mais apenas com a audiência. E se você quiser comentar aqui esperando apenas uma retribuição de visita, por favor, não o faça.
          Ao Vagner: muito obrigada, meu amigo. A ele e à Jaiana, meus mais sinceros desejos de felicidade e sucesso na nova jornada que se inicia para ambos. Desbravem o mundo – e o tornem de vocês.
          Para fechar o post, um recado do nosso desbravador favorito:
Olá, gurizada!! Só tô passando aqui pra deixar esse recado final de despedida e agradecer imensamente a todos que visitaram o blog nesses mais de 3 anos e meio que estive à frente do Desbravando Livros. Infelizmente o ciclo chegou ao fim, mas eu aprendi que nós, leitores fanáticos, somos alguns dos grandes responsáveis por mudar esse mundo e a cultura de leitura no Brasil. Continuem sempre lendo, o importante é não parar! No mais, acho que era isso. Obrigado por todo esse tempo que passamos juntos, um excelente final de 2015 e que 2016 seja repleto de grandes leituras para todos vocês!

DESBRAVANDO LIVROS
2012  – 






     

Você também pode gostar de:

0 comentários