Game of Thrones || Daenerys Targaryen não é imune ao fogo (e porque mostrar o contrário chateou alguns fãs)

Postado por - terça-feira, maio 17, 2016


Daenerys Targaryen não é imune ao fogo.


Daenerys the Unburnt by Michael Komarck. Acima você vê uma exceção longe de ser regra.

Isso foi deixado claro por Martin não apenas uma vez, mas duas, em entrevistas distintas – uma em 1999 e outra em 2003. O que ele afirmou foi: os Targaryen podem suportar um pouquinho mais de calor do que a maioria das pessoas, o que de forma alguma torna Daenerys ou qualquer outro da linhagem imune às chamas. Alguns fãs tentaram usar o argumento do nascimento dos dragões, mas esse foi um evento que Martin declarou como milagroso e exceção. Outros dizem que na Arena de Daznak ela demonstrou novamente sua imunidade ao fogo quando encarou Drogon e não foi carbonizada... No entanto, se você ler atentamente, verá que ela mergulhou embaixo das chamas. Mais tarde, além dos cabelos queimados, ela também fala sobre bolhas que apareceram em suas mãos – se Dany é realmente imune, por que as bolhas surgiram? Ademais, quanto ao couro cabeludo que não foi atingido: uma pessoa normal teria sido queimada sim, mas estamos falando de uma Targaryen, ou seja, alguém que tem maior tolerância ao calor do fogo. Faz sentido ela não ter sido afetada no couro cabeludo, especialmente se o contato foi breve.


– Não – gritou, agitando o chicote com toda a força que tinha. O dragão lançou a cabeça para trás. – Não – ela gritou novamente. – NÃO! – As farpas arranharam o focinho do animal. Drogon se ergueu, suas asas cobrindo-a com sombras. Dany bateu com o chicote na barriga dele, uma vez após outra, até que seu braço começou a doer. O longo pescoço de serpente do dragão parecia um arco. Com um shiiiiiiiissssss, cuspiu fogo negro sobre ela. Dany correu embaixo das chamas, agitando o chicote e gritando. – Não, não, não. Para BAIXO!

Sua pele estava rosada e macia, e um claro líquido leitoso vazava das rachaduras nas palmas, mas as queimaduras estavam sarando.


Se o criador da saga disse que Daenerys não é imune às chamas, bem como nem um Targaryen, é porque ela de fato não é. A não ser que Martin tenha mudado de ideia no decorrer do processo de escrita de Winds of Winter, o que significa de uma vez por todas endeusar a personagem não apenas na adaptação, mas também nos livros. Até que ele afirme o contrário, no entanto, continuamos acreditando que a última cena do episódio de domingo foi puro fanservice por parte da HBO – o que não devemos condenar, pois a maior preocupação deles nunca foi a fidelidade e sim a grana. O que vende mais? O que agrada a maioria, óbvio.

O que vende mais: Daenerys morrendo e alucinando no Mar Verde ou matando khals, queimando tudo e saindo ilesa das chamas?
Para termos certeza sobre a inexistência da imunidade, basta olhar um pouquinho para trás na linhagem Targaryen. Rhaenyra Targaryen, por exemplo, foi entregue ao próprio dragão para ser devorada. Sunfyre cuspiu fogo nela e a devorou em seguida*. Rhaenys foi encontrada tão carbonizada após a Dança dos Dragões que suas feições estavam irreconhecíveis. Se a conversa da imunidade ao fogo possuísse qualquer procedência, ambas não teriam morrido assim.

Rhaenyra is eaten by Sunfyre, artista desconhecido.
*Errata: conforme alguns leitores e amigos me corrigiram, o dragão de Rhaenyra Targaryen chamava-se Syrax. Sunfyre era o dragão de seu meio-irmão, Aegon II.

 

Por que alguns leitores estão tão incomodados com a cena final do episódio 4 da season 6?


Sim, nós compreendemos que série é série e livro é livro. Não, não vamos nos poupar ao trabalho de ligar a TV nos domingos e acompanhar apenas os livros. Somos tão fãs quanto vocês e temos o direito e livre arbítrio de escolher assistir ou não, bem como podemos expressar nossa opinião e descontentamento. Se você gostou, parabéns. Fico realmente feliz que possa deleitar-se com a série. Eu também gosto de alguns momentos, por isso a acompanho metodicamente. Mas não vou deixar de opinar de forma sincera sobre algo que acho que está errado ou poderia ser melhor.
Para quem não sabe, Game of Thrones é uma adaptação supostamente BASEADA em As Crônicas de Gelo e Fogo. Basear significa dizer que ela é apoiada na saga, que tem fundamento nela, que todo seu raciocínio deveria ser pautado no que Martin escreveu. Tudo bem, não tem como ser fiel a tudo, mas uma coisa é você tirar a Daenerys da miséria do último livro e realocá-la, outra é você alterar completamente um fato corroborado pelo autor, com precedentes históricos criados minuciosamente para afirmá-lo, e que a gente nem sabe se pode ser decisivo para o final da saga. Theon Greyjoy, por exemplo, pertencente à família mais “sou macho” de toda Westeros, perdeu o seu símbolo máximo de masculinidade – o pênis; Sansa Stark, outrora tão orgulhosa e soberba por ser nobre, por um momento viveu como bastarda... Há outras ironias assim na saga toda. Quem nos garante que o fim de Daenerys Targaryen não está nas chamas? E aqui peço para que você pense de modo racional, não com um fã alucinado da Dany que não quer aceitar quaisquer argumentos contrários e só se limita a dizer “aceita que dói menos” – espero mais do que isso dos meus leitores, aliás. Você tem de admitir que há a possibilidade de Martin tirar Dany da jogada do modo mais irônico possível: morta pelo fogo. Talvez de Drogon.

Vamos fazer uma vaquinha e enviar aos produtores? Parece uma saga legal. Talvez eles gostem.
Então, voltando ao fato de a série ser BASEADA nos livros, D&D aparentemente não sabem o que a palavra significa. Eles vendem-na como se estivessem se baseando na saga de Martin, mas na verdade estão apenas levemente inspirados, sendo influenciados de modo bem vago pela trama original. Eles têm esse direito? Têm sim. Essa é a beleza de se viver no século XXI: eles podem fazer o que bem entenderem, uma porcentagem dos telespectadores pode amar e exaltar isso, e outra parte pode sim odiar e reclamar bastante. Viva!
Ah, isso porque eu nem comecei a falar sobre o quanto o núcleo de Tyrion está desinteressante e suas frases memoráveis, decadentes. Parece que ocupar o topo da pirâmide de Meereen causa um efeito colateral: um fluxo interminável de frases de efeito descartáveis. Rezo para que a série logo termine com a HBO colocando Jon Snow, Tyrion e Daenerys em King’s Landing, pois se nos livros a delícia está na incerteza do futuro dos personagens, a série já deixou muito bem claro qual será o seu final. 

O Tyrion de Martin pode fazer melhor do que isso... (Crédito).
Aliás, apenas me prevenindo: antes que você diga que “Martin aprova a série” e que “nada é filmado sem o consentimento dele”, deixo aqui um trecho de um post do autor que demonstra que ele ligou o tanto faz, só me deem o dinheiro para a adaptação:

Eu não posso controlar o que mais ninguém diz ou faz, ou fazê-los parar de dizer ou fazer. (...) O que eu posso controlar é o que acontece nos meus livros.

Há esperança.


Você também pode gostar de:

0 comentários