Game of Thrones || S06E02 - Home

Postado por - segunda-feira, maio 02, 2016


O famigerado segundo episódio de Game of Thrones dificilmente decepcionou a maioria dos fãs. Tudo bem que o desfecho já era esperado, mas isso não impediu a euforia generalizada. Se você ainda não assistiu, passe longe deste post: CONTÉM MUITOS SPOILERS.

Título da série:  Game of Thrones
Temporada:  Sexta
Episódio:  02 - Home
Duração:  Aproximadamente 52 minutos
Exibição:  01 de maio de 2016
Criadores:  David Benioff e D. B. Weiss



O episódio se inicia com Brynden Rivers, o Corvo de Três Olhos, e Bran Stark ainda na caverna da última temporada. Bran vê o passado dos Stark, mais precisamente Ned e Benjen treinando duelo com espadas no pátio. Lyanna surge em cena, chegando em seu cavalo enquanto exibe suas habilidades. Os irmãos se reúnem e Wyllis também está ali – Hodor, em outras palavras, cujo nome verdadeiro nos livros é Walder, mas tudo bem. Ele fala (!!!!!) e os garotos chamam-no para duelar contra Benjen numa forma de treinar o caçula, mas é repreendido e levado para dentro pela Velha Ama. A visão então acaba e Brynden traz Bran de volta à caverna, ao presente, e o garoto reclama.

É muito bonito debaixo do mar, mas se ficar muito tempo se afogará.

Brynden Rivers - S06E02

http://watchersonthewall.com/wp-content/uploads/2016/05/20170429_ep602_Publicity_still_03_000930691.jpg
Bran tenta conversar com Hodor, mas não obtém sucesso. O gigante realmente teve um trauma imensurável para ter perdido a capacidade de falar, o que suscita um grande número de teorias sobre o que poderia ter acontecido – esse é, para mim, um dos mistérios mais fascinantes e intrigantes de toda a saga. Enfim, Bran sai da caverna e encontra com Meera do lado de fora. Ele começa a narrar o que viu, mas a garota não está muito interessada, pois ficar presa na caverna com Brynden Rivers é algo que a incomoda bastante. Hodor leva Bran de volta para dentro e uma Filha da Floresta aparece. Ainda que a Reed não esteja contente com tudo aquilo, é imprescindível que não saia do lado de Bran. Pode não ser hoje, amanhã ou dentro de um mês, mas em algum momento o Stark precisará da caverna – e precisará mais do que nunca do auxílio de Meera.
No núcleo da Muralha o tempo se encerra para Sor Davos. Thorne dá o ultimato e ordena que todos se retirem. Davos se arma com a Garralonga e os homens de Jon empunham suas espadas. Antes que os patrulheiros de Thorne derrubem a porta, no entanto, os selvagens invadem Castelo Negro. Não há qualquer batalha, pois a presença do gigante Wun Weg Wun Dar Wun intimida os patrulheiros, que recuam e abaixam as espadas. Edd Doloroso rende Thorne, Olly tenta atacar Tormund, mas os dois e todos aqueles que esfaquearam Jon são enviados à uma cela. 
A cena então retorna para o salão onde está o corpo de Jon Snow. Tormund o vê pela primeira vez. Fantasma está ali, adormecido aos pés do bastardo, e o momento é de melancolia.
Em Porto Real, um bêbado qualquer zomba abertamente de Cersei Lannister, inventando histórias sexualizadas sobre ambos. Mais tarde, quando se retira para urinar, um gigante de amargura aparece. Eles estão sozinhos e o bêbado ainda molha as botas dele. Esse gigante é Robert Strong e com um empurrão contra a parede, o bebado tem o crânio esmagado. Robert Strong se encaminha para o quarto de Cersei, aparentemente na intenção de escolta-lá ao velório de Myrcella Baratheon. Ela é, no entanto, impedida por soldados Lannister que estão sob ordens estritas de Tommen de mantê-la em sua torre.

No velório de Myrcella, no Septo de Baelor, Tommen e Jaime Lannister conversam sobre Cersei não estar ali. Tommen se retira e o Alto Pardal então surge. Ele e Jaime têm uma conversa enérgica - na verdade, o Lannister está enérgico e faz uma ameaça velada ao Alto Pardal, sob o pretexto da vingança contra o aprisionamento e humilhação a que submeteu Cersei. Por um momento você pensa que haverá sangue, pois os soldados do Alto Pardal estão ali, mas as ameaças não se concretizam e Jaime é deixado sozinho.
Retornando à Cersei, ela observa Porto Real de sua torre. Tommen entra e se desculpa por te-la mantido presa, mas sua justificativa é de que não queria que a prendessem de novo sob qualquer desculpa. Ele também se desculpa por não ter comparecido antes, e discursa sobre o que deveria ter feito – prender todos, mata-los, pois era o que Cersei teria feito. Ele finaliza dizendo que quer ser forte e pede ajuda à mãe.

Em Meereen, Varys, Tyrion e o conselho de Daenerys discutem sobre a situação política da região desde que a Targaryen foi embora. Os traficantes e senhores de escravos estão retomando o controle e a solução de Tyrion inclui a liberdade de Viserion e Rhaegal, retirando-os do cativeiro. Segue-se, então, a cena mais bizarra que já vi até agora: o anão consegue se fazer compreender pelas criaturas, que deveriam ser irracionais e sedentas por sangue. Ele se aproxima muito mais do que a razão recomenda, conversa com eles como se fossem animais de estimação e então tira as correntes de ambos. Não, eles não tentam devorá-lo nem queimá-lo vivo. O anão inclusive acaricia os dois enquanto relembra uma situação de sua infância, quando o maior sonho que possuía era ter um dragão para si. Um deles até se abaixa como quem pede para Tyrion retirar a corrente de seu pescoço depois de ver o anão fazê-lo com o irmão. Bizarro? EXTREMAMENTE. Pelo menos depois ele abandona o local correndo, o que é mais compreensível.

Arya/Ninguém recebe mais uma de suas sessões matutinas de espancamento da Garota Abandonada. Ela está ali, cega e lutando contra o nada, quando o Homem Gentil aparece. Aparentemente ela aprendeu sua lição, porque enfim esqueceu o nome (você entende que sim porque quando ela diz que The girl has no name, não recebe nem uma pancada). Pronta para a próxima etapa do aprendizado.

Em Winterfell, Roose Bolton recebe o relatório sobre o fracasso da captura de Sansa e Theon. Ramsay fala sobre planos de invadir Castelo Negro, mas é imediatamente rechaçado pelo pai. O meistre os interrompe com a notícia de que Lady Walda deu à luz a um garoto. Fingindo parabeniza-lo, Ramsay esfaqueia o pai no coração – e, assim, Roose Bolton está morto. Ramsay ordena que a mensagem seja espalhada ao Norte de forma que seja dito que Roose morreu envenenado pelos inimigos.
Mas, claro, isso não é suficiente. Ramsay chama Lady Walda e o irmão mais novo à sua presença. O novo Lorde de Winterfell segura o bebê nos braços e você pensa que ele irá arremessá-lo no chão, mas um destino pior está reservado para mãe e filho. Ramsay os leva para o canil... E Walda e o recém-nascido Bolton morrem devorados pelos cães. Sem misericórdia. Eu acho que nunca estive tão horrorizada desde a morte de Shireen Baratheon.

Prefiro ser filho único.

Ramsay Bolton - S06E02

Brienne conversa com Sansa Stark sobre a última vez que viu Arya, incluindo suas tentativas de convencê-la a acompanhá-la. Sansa diz que deveria ter aceitado ficar com Brienne quando teve a chance (não me diga?!).
Theon e Sansa têm uma conversa sobre como agir agora. Ainda sem saber da morte de Jon, Theon diz que o Lorde Comandante o matará quando vê-lo. Agora que a Stark tem companhia para ir à Muralha, ele prefere deixá-los. Um abraço comovente e wtf se segue. Theon diz que voltará para sua casa...

E então estamos em Pyke. Balon Greyjoy e Yara (que nome terrível perto de Asha, minha gente) conversam sobre a situação dos castelos que haviam tomado agora que A Guerra dos Cinco Reis encontrou sem fim com a morte de quatro deles. Yara é totalmente contra a declaração de qualquer guerra contra o Trono de Ferro, mas é a vontade de Balon e essa é sua palavra final. Após a discussão, ele se retira. Quando está atravessando a ponte entre as torres de Pyke, seu caminho é impedido por Euron Greyjoy, que retornou à Pyke depois de tantos anos. Aquela disputinha de egos de sempre acontece, com algum deboche por parte de Euron, e tudo termina com Balon dando um mergulho de queda livre como cortesia do irmão.
No dia seguinte, o corpo do antigo Rei do Trono de Sal está sendo velado seguindo os costumes do Deus Afogado. Yara jura vingá-lo sobre o Trono de Sal, mas Aeron Greyjoy, o sacerdote do Deus Afogado, diz que ela ainda não tem direito ao trono e que a vontade de seu irmão é irrelevante. Aparentemente devemos nos preparar para uma Assembleia dos Homens.
De volta à Muralha, Davos interpela Melisandre, praticamente implorando para que a Sacerdotisa Vermelha ressuscite o bastardo. Mel afirma que alguns têm esse poder, mas não ela – apesar de nunca ter tentado. E então a bruxa externa o que já pensávamos:

Tudo que eu acreditava, aquela grande vitória nas chamas, era tudo mentira. Você estava certo o tempo todo. O Senhor nunca falou comigo.

Melisandre - S06E02
Davos responde que não está pedindo a R'hllor, nem a qualquer outro deus, pois para eles são todos iguais – e não acredita em nem um. Ele está pedindo à Melisandre, a mulher que diversas vezes fez com que ele acreditasse no impossível.

Melisandre é convencida e se encaminha para a sala onde está o corpo de Jon. Realiza metodicamente o ritual, que dura alguns minutos, enquanto Tormund lança olhares duros a Davos, deixando aparente o quanto é contra o que está acontecendo. Aos pés da mesa onde o corpo de Jon repousa, Fantasma dorme. O ritual prossegue e encontra seu fim... E Jon continua morto. Sem esperança, todos se retiram da sala. O ritual não deu certo.
Quando está sozinho, no entanto, Fantasma acorda – e, Iogo em seguida, um Jon sem fôlego também.

Bem, todos esperávamos esse final, não há como negar. Pelo menos na série. Quanto aos livros há outras teorias, mas no fundo a gente sabia que Kit Harrington não ia deixar a adaptação assim (até porque seu contrato com a HBO tem mais dois anos). 
Eu comemorei, você comemorou, nós comemoramos: mas será que o retorno de Jon Snow é algo bom? Aprendemos desde Lady Stoneheart que os mortos de George Martin não retornam à vida como eram antes. Ele já disse em entrevistas que seus personagens podem até ser "ressuscitados", mas deixam para trás um pedaço de si. Agora observe bem a imagem acima: viu o olhar de Jon Snow? Você acha que esse Jon que acaba de acordar é o mesmo que foi esfaqueado? Eu suspeito que não. Algo deve ter quebrado dentro do bastardo. Claro que só vamos saber no próximo episódio, mas qual a sua opinião?
Sobre Melisandre: ela foi capaz de trazer Jon Snow à vida exatamente quando perdeu a fé em R'hllor. Isso abre um leque de dúvidas: ela é poderosa por si só? R'hllor ao menos existe? Será que se estivesse fervorosa como antes, teria conseguido ressuscitar o Lorde Comandante? Por que a magia deu certo quando Melisandre estava mais desacreditada do poder que possuía?
Essa temporada está se mostrando bem melhor que o esperado, aliás (pelo menos para mim). A única coisa que me pareceu ridícula mesmo foi aquela reação de Rhaegal e Viserion aos toques e conversa de Tyrion. Forçado demais! Tudo bem que a série tem menos tempo para desenrolar as tramas, mas tornar os dragões criaturas calmas e pacíficas perto do anão meio que o endeusou de uma forma que não acontece nos livros. Eu particularmente não gostei, mas nem por isso o episódio deixou de ser ótimo. Que continue assim!


Você também pode gostar de:

0 comentários