Resenha || Pão e Arte, obra da autora nacional Ana Lúcia Merege #celebreoqueénosso

Postado por - segunda-feira, novembro 21, 2016


Resultado de imagem para pão e arte ana lúcia
  Título do Livro: Pão e Arte
  Autor: Ana Lúcia Merege
  Editora: Escrita Fina
  Páginas: 224
  Ano de Publicação: 2012
  Onde Comprar: Livraria da Travessa || Estante Virtual



Sinopse Um jovem saltimbanco viaja com seu mestre e outros artistas por uma região que desconhecem. Eles bem sabem dos perigos que a vida na estrada proporciona, mas não tinham como prever o que viria na próxima parada. Fome, revolta, caos e uma grande traição... Esta é uma narrativa que celebra a justiça social, bem como a amizade tão frequente na relação entre mestre e aprendiz.


Durante as décadas de 1980 e de 1990 a série de livros Vaga-lume fez um grande sucesso com o público infanto-juvenil (inclusive comigo :D), obras como A Ilha do Tesouro, A Ilha do Medo e O Escaravelho do Diabo foram responsáveis por introduzir muitas crianças ao fantástico mundo da leitura. A escritora nacional, Ana Lúcia Merege, consegue com o seu livro Pão e Arte resgatar aquela sensação provocada pelos livros da Vaga-Lume.
Pão e Arte conta a história de uma trupe de artistas que vagam pelas cidades de um mundo fictício, atrás de plateia e moedas no chapéu. Ao longo da narrativa o grupo inicial vai se alterando pelos mais diversos motivos. A história é simples, sem grandes tramas escondidas e sem reviravoltas. E quem falou que história simples é ruim? Neste livro a simplicidade é seguida pela qualidade. Assim como a série Vaga-lume se mostrou ideal para os leitores mirins, Pão e Arte também surge como um belo convite. Adultos também podem se beneficiar da leitura, principalmente durante a tão temível ressaca literária, estado mental em que estamos ligados a algum livro lido recentemente (normalmente com uma trama elaborada) e que não conseguimos iniciar uma nova jornada, mas queremos ler algo. Um livro simples pode ser a solução ideal.
A história é narrada em primeira pessoa pelo protagonista Zemel, um garoto de 10 anos, enquanto que os adultos olham para a estrada com medos e preocupações, Zemel enxerga apenas oportunidades de aventura. O olhar infantil sobre temas adultos se faz presente por toda a obra. Cyprien de Pwilrie assume o papel de mestre do Zemel, versado nas mais diversas artes (cura, interpretação, fantoches e por ai vai) surge como líder do bando e responsável direto pelas soluções dos problemas, um sujeito que se torna ainda mais carismático ao ser descrito pelos olhos do Zemel. Além do pupilo e do mestre temos outros personagens surgem ao longo do livro, cada um com sua peculiaridade descrita de forma simples e bem feita.


O livro possui um acabamento muito bonito, a capa é linda, a diagramação perfeita e a folha é um pouco grossa e gostosa ao tato. A leitura flui com uma dinâmica rápida, acabei lendo o livro de 222 páginas em dois dias, mas com tempo disponível é possível ler em apenas um dia.
Além de Pão e Arte, a autora escreveu: A Ilha dos Ossos, O Castelo das Águias, Ana e a Trilha Secreta. Ana Lúcia Merege também é responsável pelos livros do universo de Athelgard, atualmente publicados pela editora Draco.
Para saber mais sobre a autora e os livros dela acessem o blog http://castelodasaguias.blogspot.com.br/.


Post escrito por Alex Almeida da Silva.



Você também pode gostar de:

0 comentários