Resenha || Bidu: Caminhos – e um encontro que sempre esteve destinado a acontecer

Postado por - quarta-feira, dezembro 14, 2016



  Título da Coleção: Graphic MSP
  Título do Livro: Bidu – Caminhos
  Autor: Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho
  Editora: Panini
  Páginas: 80
  Ano de Publicação: 2016
  Onde Comprar: Amazon || Submarino || Saraiva || Livraria Cultura || Compre aqui e ajude o MeL
  
Sinopse Em Caminhos, os autores Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho reimaginam de modo belíssimo a forma como Bidu e Franjinha, os dois primeiros personagens criados por Mauricio de Sousa, se tornaram melhores amigos. Uma aventura cheia de problemas, surras, desvios de rota, chuva, cachorros, decisões difíceis e ternura. Mais uma edição que nasce clássica, apresentando a reinterpretação de personagens do maior quadrinista brasileiro sob a ótica de novos autores do quadrinho nacional.

Eu cresci lendo os quadrinhos da Turma da Mônica, série criada por Maurício de Sousa. A minha avó fez uma assinatura para mim e todo começo de mês eu ficava na garagem dela esperando o carteiro entregar meu tesouro; às vezes ele atrasava e eu o amaldiçoava por isso, mas quando a entrega chegava a irritação passava e eu me debruçava sobre os gibis e os lia várias vezes até o início de um novo mês. Posso afirmar que a Turma da Mônica iniciou meu gosto pela leitura.


Acredito que muitos possuem histórias parecidas e cada um ao seu próprio modo criou uma relação afetiva com os personagens de Maurício de Sousa.
Recentemente eu descobri o projeto Graphic MSP organizado pela editora Panini e sob a tutela do próprio Maurício de Sousa. A ideia é recontar a história de todos os personagens, não só os principais (Mônica, Magali, Cascão, Cebolinha e Chico Bento). Através desse projeto podemos conhecer a profundidade do Franjinha, Bidu, Louco, Piteco e muitos outros. Cada Gibi conta a história de um desses personagens. São diversos roteiristas e ilustradores que encaram essa audaciosa missão. Sim, é isso mesmo, o Maurício de Sousa não é o responsável direto pela criação, mas tudo passa pelo aval dele.
Se a primeira impressão é a que fica, a desse projeto é excelente. Capa dura e com imagens lindas, as folhas são de excelente qualidade, os traços e as cores são vívidos. A série Graphic MSP trata-se de uma verdadeira obra de arte.


Bidu: Caminhos, dos autores Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho, conta a história de um encontro que estava escrito para acontecer; independente dos caminhos escolhidos pelos protagonistas, eles estavam destinados a se encontrar. De um lado Bidu, um filhote esperto e azul, do outro lado Franjinha, uma criança inteligente e excêntrica.
Em livros, nos acostumamos a focar muito nas palavras e se o leitor não tem o hábito de ler quadrinhos, ao se ver de frente a um pode cair na armadilha de dar atenção apenas aos balões de diálogos. Em Bidu: caminhos esse erro fica ainda maior. Por ser narrada em sua maior parte pelo ponto de vista do Bidu, o gibi não possui muitos diálogos e é nessa parte que descobrimos a arte produzida pelos autores. Como contar uma história sem palavras? Observem as expressões corporais, observem o cenário e principalmente observem os olhos dos animais. Através do olhar o leitor consegue ter a nítida noção do que está acontecendo.


Bidu, um filhote que vive na rua e enfrenta cotidianamente grandes adversidades. A necessidade de arrumar um local para dormir, alimento e ao mesmo tempo escapar dos perigos da cidade, colocam-no em constante movimento. Franjinha sente que falta algo, ele quer um cachorro, mas nunca acha o certo, mas no fundo sabe que existe uma cara metade canina em algum lugar.
A arte gera emoções e nos faz refletir. Bidu: Caminhos me emocionou e me fez refletir. Atualmente eu tenho uma cachorra chamada Morgana que eu a “encontrei” quando ainda era uma filhote abandonada na rua. Ao finalizar a leitura eu percebi que ela também me encontrou, que ela superou adversidades e improbabilidades para que nossos caminhos se cruzassem. Agora vejo que o certo é dizer que eu e a Morgana nos encontramos.
Bidu: Caminhos, é uma apreciação extremamente válida. Já adianto que não é coisa de criança ou apenas elemento nostálgico. A obra me lembrou as animações da Pixar que sempre esconde algo para os adultos, aquele sentimento que só compreendemos com o passar dos anos.
Essa é a minha Bidu (Sim, para minha surpresa ela se tornou uma cavaleira Jedi).


Caso você tenha um Bidu ou uma Bidu nos conte a história de como se encontraram e quais caminhos percorreram. Se possível postem fotos nos comentários no link desta publicação lá no grupo (Facebook) do MeL.


 Este post foi escrito por Alex Almeida da Silva.


Você também pode gostar de:

0 comentários